jusbrasil.com.br
27 de Maio de 2019

Inteligência artificial vence 20 advogados em teste de revisão de contratos



Aquele papo de que as máquinas substituirão os seres humanos em algumas ocupações profissionais volta e meia ganha mais força. A mais recente novidade nesse sentido é uma inteligência artificial chamada LawGeex, criada para revisar acordos de não divulgação e que acaba de superar 20 advogados em um teste de revisão de contratos.

Durante dois meses, a LawGeex e um grupo de 20 advogados avaliaram a mesma série de documentos. A avaliação acontecia em um ambiente controlado e construído para oferecer o mesmo tipo de contexto enfrentado por um profissional da área quando vai avaliar se há alguma brecha em acordos sigilosos.

Passado o período de testes, a precisão média da inteligência artificial alcançou 94%, enquanto os advogados humanos atingiram apenas 85%. Outro dado aqui é que a precisão máxima alcançada pela LawGeex ao avaliar um documento foi de 100%, enquanto o máximo que um advogado humano conseguiu foi de 97%.

E se os resultados de precisão não ficaram tão desiguais, não se pode dizer o mesmo em relação ao tempo levado por cada competidor para concluir a sua tarefa: enquanto os humanos levavam em média 92 minutos para revisar um contrato, a LawGeex fazia isso em incríveis 26 segundos.

O estudo na íntegra (em inglês) pode ser conferido neste link.


(Fonte: Tecmundo)

13 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Quem é da Tecnologia sabe como as fontes do Tecmundo são boas rs

Alguém leu o tal estudo na íntegra ou apenas publicou o que está na homepage que vende o tal bot? rs A metodologia é falha, usaram modelos semelhantes de NDA e a busca por falhas apenas se limitou aos desvios do padrão, gostaria de ver a tal IA criar um NDA baseado em algo novo dando esses parâmetros. Enfim, bom para revisar, péssimo para criar.
Novamente a única coisa que essas "IA" fazem é comparar padrões e isso é lógico que uma IA faz mais rápida que o homem.

Quem trabalha com trabalho repetitivo, seja em qual área for, logo terá uma máquina que vai substituí-lo. continuar lendo

Os advogados Brasileiros já tem um inimigo para a profissão, pelo menos aqui no Brasil. Se você não passar em um concurso público, para os muito vantajosos cargos públicos, terá que competir com milhares de profissionais formados anualmente. O maior inimigo da função, é o enorme numero de faculdades, universidades, que juntos, possuem mais cursos de direito do que todo o resto do mundo.

O principio da oferta e demanda, é aplicada também para as profissões e profissionais. Pelo que leio aqui constantemente, cargos técnicos e trabalhos braçais estão pagando mais do que para profissionais do direito. continuar lendo

A vantagem é que você pode programar a máquina para dar a metade das informações verdadeiras e a outra metade falsas em 26 segundos. A inteligencia artificial é tão boa quanto um excelente advogado analfabeto. Aqueles conhecido por terno vazio. Aliás, como advento das Sumulas vinculantes, poderíamos fácil fácil substituir não só os advogados como também a Magistratura! Como recompensa não teríamos que pagar aqueles auxílios indevidos aos robôs e de sobra acabaria com os prazos de prateleiras, decanos! Vamos unir a inteligencia artificial e aplica-la onde temos maior custo, ou seria prejuízo? continuar lendo

Matou a tijoladas, pena que os juízes gravarão seu nome com letras de ouro para não perderem, mas que tem razão, a isso tem. continuar lendo

Não acredito na substituição do profissional advogado por um software pois, assim como tanto outras que já foram criados os bons profissionais se adaptam a eles, e os usam como mais uma ferramenta de trabalho.

Sabemos que a IA do software é ilimitada desde que se sabia efetivamente como usar e isso limita a IA, logo não vislumbro uma substituição no sentido pratico. continuar lendo

Impressionante! continuar lendo

Essa é a realidade, justamente por acreditar nessa futura interferência das tecnologias na advocacia que resolvi retornar a vida acadêmica, atualmente estou cursando análise e desenvolvimento de sistemas, pretendo unir o direito a tecnologia. continuar lendo